03 julho 2014

O Volume da Lei Sagrada

Nota de Abertura: Neste Blog de vez em quando convidamos um Maçon de outra Loja ou de outro Oriente ou País a publicar textos de sua autoria, tal como acontece com o que agora aqui se publica e que vai devidamente assinado.






21º Landmark da lista de Albert Gallatin Mackey- é indispensável a existência, no Altar, de um Livro da Lei, o Livro que, conforme a crença, se supõe conter a Verdade revelada pelo Grande Arquitecto do Universo. Não cuidando a Maçonaria de intervir nas peculiaridades de fé religiosa dos seus membros, esses Livros podem variar de acordo com os credos. Exige, por isso, este landmark, que um "Livro da Lei" seja parte indispensável dos utensílios da Loja.

Como se infere do landmark citado, não há um livro da lei recomendado ou que tenha preponderância sobre os outros. Porque para o maçon do R\E\A\A\, que é o nosso, nenhuma religião é melhor que outra ou mais digna de respeito que outra. Todas são dignas de respeito, todas são de igual importância. Porque para um homem se tornar maçon no R\E\A\A\ apenas lhe é perguntado se é crente. Qual a sua confissão religiosa, se professando alguma, não é assunto nosso. Ao R\E\A\A\ basta que o homem seja crente e entenda o conceito do G\A\D\U\. O que isso significa no coração de cada um de nós, não interessa nem é para aqui chamado. Nós aqui abordamos todas as questões, sejam elas de que índole for, quando nos encontramos na linha em que todos somos irmãos, sitio esse onde podemos abordar todos os assuntos sem colocar em perigo a harmonia entre os II\. Essa linha existe, um dia chegarão lá todos os que aqui estão se trabalharem para isso e tem um nome, chama-se Nível, e é a Jóia que identifica o I\1º V\. E é o emblema da Igualdade. O Nível maçónico é formado por um Esquadro de hastes iguais, de cujo ângulo desce uma Perpendicular. O Nível simboliza a Igualdade, base do Direito Natural e a Perpendicular significa que o maçom deve e precisa possuir uma rectidão de julgamento que nenhuma afeição – de interesse ou de família – deve impedir. O que pode distinguir os maçons e conduzi-los ao seu lugar na comunidade é o mérito e também as virtudes e o talento. O Nível lembra ao maçom que todas as coisas devem ser consideradas com serenidade igual e que o seu simbolismo tem como corolário noções de Medida, Imparcialidade, Tolerância e Igualdade, bem como o correto emprego dos conhecimentos.
Partindo desta premissa, não há assunto que não possa ser discutido entre nós, pois será sempre uma discussão leal e iluminada.
Assim, concluo que nenhum maçon do R\E\A\A\ se pode ofender com um símbolo religioso, pois entende que todas as opções de crença são legítimas e são escolhas pessoais, que a ninguém dizem respeito. Nós trabalhamos A\G\D\G\A\D\U\ e chega. Esse é o nome que lhe damos e não outro, apesar de existirem sempre tentativas de forças estranhas de introduzir na nossa Augusta Ordem formas de colocar em perigo a Harmonia entre os maçons, minando a Ordem e a sua Força progressista e humanista. Tenho até para mim que a Maçonaria existe hoje muito mais influenciada pelo Renascimento, a descoberta do Mundo e do Homem do século XVI em diante e o Humanismo deísta do século XVIII,  do que às confederações de pedreiros-livres medievais. O nosso ideal é a Verdade, sendo a sua indagação um Dever para todos os maçons.
O R\E\A\A\ respeita todas as religiões, todos os símbolos religiosos, sem nunca se identificar ou se opor a qualquer uma delas, ou mesmo a qualquer governo ou escola filosófica, mantendo sempre como base dos seus ensinamentos a Liberdade de Pensamento, a indagação da Verdade e a busca, constante e pacifica, de uma vida melhor.
A introspecção espiritual potenciada pelo ritual não conduz num determinado sentido religioso, dá espaço a que todos, independentemente do seu credo, confessional ou não, se sintam integrados nesta comunhão espiritual em que a Verdade e a Fraternidade são o cimento que une todas as pedras que fazem parte deste Templo que é a R\L\ Alengarbe.
Disse.

José Eduardo Sousa, V\M\ da R\L\ Alengarbe, a Or\ de Albufeira

6014 A\L\



9 comentários:

Unknown disse...

Meus IIr.'.,

O texto vem a calhar em uma dúvida que tenho. Se o R.'.E.'.A.'.A.'. respeita todas as religões . Por que em seu rito esta a leitura de versículos cristãos? E se colocássemos no altar , o Alcorão? O que leríamos na abertura dos trabalhos.

T.'.F.'.A.'.

Vagner Cardozo
A.'.R.'.L.'.S.'. Liber Veritas

Anónimo disse...

Meu Querido Irmão;

Permite-me, como Muçulmano e obreiro desta Respeitável Loja Mestre Affonso Domingues, esclarecer a tua questão.

Na Respeitável Loja Mestre Affonso Domingues pratica-se o REAA e os 3 livros Sagrados, Torah, Al-Kuran e A Bíblia estão sempre presentes em cada sessão, em conformidade com o que deve ser.

No que diz respeito ao Al-Kuran este é aberto na 1 Surat Al-Fatiha ( A Surat de Abertura),em relação aos restantes 2 livros Sagrados estão abertos conforme regras e normas Rituais.

TFA.'.

Alexandre T.

Unknown disse...

O problema é que tem uma parte no Alcorão que fala que os que não são muçulmanos,devem ser mortos,pois eu até fiquei chocado quando li isto, pois não tenho ele neste momento mas vou repassar aos senhores.

Anónimo disse...

@ André Luís Bezerra;

Escreve que "até ficou chocado quando leu" aquilo que diz ter lido, mas agora "não tem ele neste momento mas vai repassar".

André chocado fico eu com alguém que faz uma afirmação como a sua sem fundamentar a mesma com a correcta identificação do que diz ter lido.

André se diz ter encontrado e tão chocado ter ficado, seria normal não se ter esquecido onde tal afirmação consta, pois dessa forma teria sempre presente essa prova para mostrar o tão "Vil Comentário".

André apenas tenho uma pergunta para si:

Choca-o de forma igual o seguinte texto:

"E naquela ocasião mataram dos moabitas cerca de dez mil homens, todos robustos e valentes; e não escapou nenhum."

Eu digo-lhe que não, apenas isso, a mim não me choca.

Sabe em que ponto pode ler esta afirmação?

Já agora mais um pequeno excerto para procurar, se assim o entender:

"Nenhum dos adeptos do Livro deixará de acreditar nele (Jesus), antes da sua morte, que, no Dia da Ressurreição, testemunhará contra eles."

Sabe onde pode encontrar este pequeno excerto?

André procure, registe e apresente coisas concretas e todos os que lêem este Blogue lhe serão gratos pela partilha.

Afirme sem certezas, mas apenas porque ouviu alguem contar, insinue sem apresentar provas, então EU peço-lhe descubra a beleza do silêncio e vai ver quão bela se vai tornar a sua caminhada.

Disse!

Alexandre T.

Unknown disse...

Tenho talento, mais não um convite :(

Rui Bandeira disse...

@ Allan Tkn:

Como se diz nos EUA, "2 be 1 ask 1" (para ser um, peça a um). Se pretende ser admitido à Iniciação, manifeste esse desejo a um maçom. Se não conhecer nenhum, dirija-se à Loja da sua localidade (ou da que exista mais perto dela), fale com alguém de lá e manifeste o seu desejo, deixando os seus dados pessoais, formas de contacto e demais informações que lhe sejam solicitadas.
Depois... aguarde (porventura por um tempo significativo). Se for reconhecido como homem livre e de bons costumes e como estando de boa fé, será contactado e o processo devido iniciado.

Unknown disse...

Sou bem mais que isso tudo, minha alma vale mais ouro.

Unknown disse...

Caro Vagner Cardoso,
Na Loja do autor do texto também estão no Oriente, ao lado da Bíblia, o Corão e a Torah.
A Maçonaria, como a practicamos hoje, nasce no seio da cristandade. O registo mais antigo que havia à época era a Biblia (ainda Napoleão não tinha invadido o Egipto nem a Pedra de Roseta tinha sido descoberta) e a Biblia continha os relatos mais antigos registados da actividade humana compilados (antigo testamento) e compreensiveis por todos os homens.
Hoje conhecemos textos mais antigos, em especial os Sumérios, como o épico Gilgamesh ou os registos do Antigo Egipto.
Os versiculos lidos da Biblia não incomodam ninguém que perceba o sentido dos mesmos.

JES

H. Theodor disse...

Para o Rito Escocês Antigo e Aceito praticado no Grande Oriente do Brasil o Livro da Lei é a Bíblia, que não só deve estar presente no Altar dos Juramentos e ser lida nos trechos apropriados a cada grau, como também não pode ser substituída.No caso de recipiendário ou Ir.'. não cristão, se coloca, para que ele faça o solene juramento, o livro de sua fé sobre a Bíblia (que não pode ser retirada), mas apenas no momento de seu juramento, e o mesmo é retirado do Altar em seguida, ficando apenas a Bíblia.

Hideraldo A. Teodoro
M.'.I.'. da A.'.R.'.L.'.S.'. Pentalpha nº 2239 - Or.'. de São Paulo - SP