14 maio 2017

“Chegadas e Partidas…”

Este é o último texto que irei partilhar com os nossos leitores nos próximos tempos…

Serão dias, semanas, meses ou quiçá anos, somente o GADU o decidirá.

A Maçonaria faz-se de chegadas e de partidas, tudo tem um tempo, um tempo próprio para fazer, seja ritual ou não. A própria evolução do Homem é temporal, sem Tempo ela não se cumpre.

E no meu caso pessoal o meu tempo foi este!

Já alguém dizia que “Tempus Fugit” e é verdade, ele passa sem darmos-nos conta da sua passagem. Passaram, sensivelmente, cerca de 2 anos e oito meses que iniciei aqui o meu percurso como membro do painel de autores neste blogue,  tendo saído da minha caneta cerca de 50 textos e republicado cerca de 25 outros tantos textos de autores membros do painel deste blogue.

Sempre fiz esse trabalho de escrita com a motivação da partilha de “saberes” que eu poderia deter e fí-lo despretensiosamente e despreocupadamente, ou seja, fí-lo porque senti que era meu dever o fazer… Maçonaria também é isto: trabalhar, ensinar, partilhar…

Por isso mesmo é com a tranquila consciência com que parto, pois tudo fiz sem nada pretender em troca, nem vãs glórias ou “metais”; e é isso que motiva o Nuno Raimundo nesta sua caminhada…  
Apenas o labor constante me impele a ir mais longe e simplesmente isso, nada mais...

Certamente que alguns  leitores ficaram mais próximos de mim, do meu pensamento maçónico, através da leitura das publicações que eu ia fazendo, certamente também passaram – se o desejaram fazer! - a ter outra imagem do que a Maçonaria é e trata. Pouco mais posso eu fazer neste momento para lhes demonstrar o que ela é na realidade a não ser através da minha acção pessoal na sociedade, sendo que tal é feito pela minha conduta e forma de estar e no relacionamento com os demais.

Cheguei  e agora parto, e posso afirmar que a minha permanência durante este tempo por aqui  foi um  processo árduo, de busca, procura de conhecimento, estudo, pois o que me esperava não era uma tarefa fácil mas antes uma demanda difícil, até porque tinha a consciência – e ainda a tenho ! - de que a fasquia era elevada tal a qualidade dos meus pares e do próprio blogue em si. E por isso tinha a verdadeira noção de que não poderia executar nada que fosse abaixo do “bom”. A própria Respeitável Loja Mestre Affonso Domingues nº5 assim o exige aos seus membros!

Honestamente não sei se assim o foi… Mas quero assumir e vos dizer que também que o que fiz e que neste espaço partilhei tiveram sempre razão de o ser e sempre considerado, por mim, como uma mais valia para o conhecimento dos demais. Espero não ter falhado com tal propósito.

Agora é tempo de me ir… A mudança, a evolução, tem destas coisas e tal não (me) é indiferente.
Irei fazer parte do Quadro de Obreiros de outra Respeitável Loja e dessa forma não poderei, para já, continuar a colaborar neste espaço.
Mas deixar de escrever não significa abandono. Irei continuar a ler, a participar como comentador; apenas não estarei ao lado de quem “escreve” mas antes no outro lado, ao Vosso lado, dos meus/nossos queridos leitores.

Muito Obrigado aos meus muito estimados Irmãos pelo tempo em que estive por aqui ao vosso lado e muito obrigado também aos nossos caríssimos leitores pelo tempo que disponibilizaram para ler e/ou comentar o que por mim foi traçado neste muito respeitável blogue.

Inté…

2 comentários:

Alberto Ruela Santos disse...

tempus fugit,carpe diem et memento mori

Nelson Magalhaes Costa Filho disse...

Sentirei muito sua falta e comentários. Que o GADU ilumine seus caminhos!